Posts Tagged ‘Eus’

#comofaz?


diluvio

diluvio

Ok, a imagem não é de um dilúvio (juraaa????), mas imaginem que seja… u_u

Sabemos todos das coisas que andam acontecendo por aí nos últimos tempos. O que ninguém anda percebendo é, que ao olhar para o vizinho, estamos ignorando os irmãos.

Largando as metáforas e falando sério. Entendo que o Haiti precisa de muita ajuda, que as coisas estão críticas por lá, mas… E o nosso país? E as crianças que estão disponíveis para adoção, as chuvas no Rio de Janeiro e em São Paulo?

Gente, ser solidário não é apenas ajudar os que estão extremamente necessitados, mas os que estão menos também!

Passamos todos os dias por crianças de rua, pessoas sem casas e sem emprego, e precisaremos de mais o que pra ajudar? Não vou fazer aquele discurso de “Precisamos nos unir”, afinal, todos estão conscientes do que precisam fazer, mas nessa hora, precisamos olhar para todos, inclusive para os que estão próximos.

Me desculpem pelo texto chato, mas é que a minha indignação foi maior que a minha própria pessoa.

Changes.


Stress

Algumas mudanças são drásticas, são chatas, são difíceis. A maioria delas fazem com que nós fiquemos meio que perdidos em meio à tanta novidade, mas o que fazer nesse mato?

Eu passo por essa fase de adaptação, atrasada, concordo, mas ainda assim não tenho conseguido me adaptar à tantas coisas. É tudo muito diferente, sotaques, costumes, clima… Nunca se sabe o que vai acontecer, ainda tenho medo do que tem lá fora, mas sei que eu vou me dar bem.

Há pessoas que entram em desespero, fazem todos os tipos de coisa, há aquelas que se saem bem em situações de pressão, passam por isso e, no final, dá tudo certo.

Imagino eu que todas as mudanças sejam para o bem, mas não acredito em mudanças pessoais, mas esse não é o assunto, vejamos bem o fato de que, mudar, seja de rua ou de país (talvez planeta num futuro pós apocalíptico de 2012), faça com que as pessoas reflitam nas coisas e pessoas que “deixaram para trás”. Ter esse tipo de separação faz bem? Afinal, sempre se sente meio solitário quando se está longe das pessoas que se ama, mesmo quando se está casado, ou rodeado de novos amigos (nada como as coisas velhas, concordem).

Mas aí, fica a pergunta: “O que se deve fazer para alcançar, pelo menos, uma porcentagem da felicidade que deixamos pra trás?”

Quem souber, por favor, me diga. Preciso desse pouquinho.

Sejam bem vindos ao meu mundo!


Espero que gostem de imagens, colocarei várias e tentarei dar uma explicação sobre algum fato relacionado às elas.

Espero que gostem mesmo e, mais uma vez, sejam bem vindos! 😀