Posts Tagged ‘geisha’

Geishas


Vejo que muita gente (talvez a mesma pessoa (?)) procuram, por geishas aqui no blog, vou fazer um especial então.

Comecemos com um vídeo.

Sobre:

Ao contrário do que as pessoas pensam, geishas não são prostitutas, mas sim artistas. Desde que são maikos, elas aprendem diversos tipos de danças e aprendem a tocar shamisen e/ou koto. Elas trabalham em Ochiyas (casas de chá) apenas com o intuito de entretenimento.

Essa imagem distorcida surgiu com a Segunda Guerra Mundial, quando algumas prostitutas se vestiam como geishas para ganhar dinheiro com os soldados. (naquela época, não sei hoje, a prostituição era permitida, mas era controlada.)

A Maquiagem:

A maquiagem trata-se de uma camada de pó de arroz, para que a pele fique bem branca. A parte de trás do pescoço deve ter um espaço sem o pó, pois dizem que o pescoço é uma parte sensual. A boca deve ser pintada cuidadosamente de vermelho, apenas no meio, para que pareça mais delicado, a não ser que você tenha uma boca pequena, bem pequena. Os olhos sempre tem pequenos “rabichos” em vermelho nos cantos, nada exagerado. As orelhas não devem ser pintadas.

O Cabelo:

O cabelo deve ser lavado e bem penteado, deve ser longo também. Quando ainda são Maikos, as meninas usam apliques ou perucas para que possam se acostumar. Os acessórios para cabelo variam de acordo com a ocasião e com o kimono usado. Eles podem ser desde penduricalhos até grampos simples.

Gente, espero sinceramente ter ajudado. Espero que me ajudem a divulgar o bloguezinho também.

o/

Anúncios

Esforço.


Geisha

Geisha

Gueixa (芸 , geisha) ou Gueigi (芸妓, geigi ) são mulheres japonesas que estudam a tradição milenar da arte da sedução, dança e canto, e se caracterizam distintamente pelos trajes e maquiagem tradicionais. Contrariamente à opinião popular, as gueixas não são um simples equivalente oriental da prostituta. Elas não trabalham com sexo. Podem chegar a flertar, mas seus clientes sabem que não irá passar disso, e esse é o fato que muitos homens se encantam com a cultura de uma gueixa. No Japão a condição de Gueixa é cultural, simbólica repleta de status, delicadeza e tradição. São em muitos aspectos similares às  Kisaeng coreanas.

O termo geiko (芸子) é também usado no dialeto de Kyoto  para descrever as gueixas, especialmente no bairro Hanamachi. Ao contrário do que se verificava nos séculos XVIII e XIX, as gueixas são atualmente em número bastante reduzido.

Maiko (舞妓, Maiko) é o termo utilizado para designar uma gueixa aprendiz. O elegante, mundo de alta cultura de que a gueixa faz parte é chamado karyūkai (柳界 “a flor e mundo de salgueiro”). Uma gueixa famosa, Mineko Iwasaki, disse que isso é porque “gueixa é como uma flor, bela em seu próprio estilo, e como um salgueiro, graciosa, flexível, e forte.” Outra importante gueixa foi Kiharu Nakamura.

Bem, depois de uma explicação sobre o que são as geishas, vamos ao assunto…

Na minha opinião, esforço é aquilo que vem antes da recompensa, ou aquilo que você faz na academia/ banheiro. Mas, falando sério, o esforço é a parte mais importante para qualquer coisa que se queira, seja um objeto, alguém ou qualquer outra coisa.

Coloquei uma geisha hoje, pois imagino o esforço que elas fazem para ser uma. Desde as Maikos até se tornarem geishas. As pressões, as opiniões. Elas têm histórias lindas e objetivos mais lindos ainda.

Já vi frases, sobre escrever, coisa que gosto muito, e que só contém a verdade:

  • “Apenas três dedos seguram a caneta, mas o corpo todo trabalha, e dói.”
  • “Escrever um livro é 99% transpiração e 1% inspiração”

Fazer esforço é quase que movimentos involuntários, ele simplesmente está lá. Não adianta fugir ou se esconder, sempre se fará esforço, não importa qual o tamanho dele.

Agora, diz você, não é esse tipo de esforço a que você se referia. Na verdade, também é. Existe o querido e companheiro “esforço mental”. É aquele que algumas pessoas pedem que outras façam. Essas pessoas não crescem, não se desenvolvem. Às vezes é necessário pensar além do que já se pensou, subir na cadeira se for necessário, mas sempre ir além.

“E quem você pensa que é pra me dizer isso, sua chata?”, simples, eu sou alguém que aprendeu a lidar com isso, e me esforcei das duas formas pra conseguir o que tenho.  Não conheço muitas pessoas que falam japonês por que aprenderam sozinhas…

O caso é que, sem esforço, não se chega à lugar nenhum.

Quer saber mais? Leia isso, isso e isso. Há muitos outros livros e filmes (com exceção de Memoirs of a Geisha – 2005), quando der, retomo o post e coloco os línques.  Beijos a todos! ♥